OBERO'N'N – Engenharia de Sistemas

Alarme

Alarme Residencial sendo ativando por uma criança no colo do pai

Através de uma análise criteriosa no ambiente a ser protegido, se adota a melhor opção de equipamentos a serem utilizados e sua disposição, com esse estudo se define o modelo de central e sensores mais adequados, podendo ser um sistema monitorado ou não.

Ambos são compostos por vários tipos de sensores que emitem sinais quando detectam algum movimento no local protegido, mas há algumas funcionalidades distintas entre eles, e entendê-los vai tornar a sua escolha mais assertiva.

Central de alarme monitorada
A central de alarme é o item que exige maior atenção na escolha do seu sistema de segurança, pois nela concentram todas as informações programadas a serem executadas.

O grande diferencial deste produto, é a supervisão 24h. onde a segurança é compartilhada com uma empresa especializada nesse serviço, que acompanha os registros de todo o sistema de alarme e auxilia remotamente tomando providencias junto aos órgãos competentes em casos de ocorrências.

O alarme monitorado com seus sensores tem a função de detectar uma tentativa de invasão, acionando uma sirene no local que emite um alerta sonoro, e esses eventos são enviados para a central de monitoramento remota, via linha telefônica, Ethernet ou GPRS.

Quando isso ocorre, a empresa faz contato e envia profissionais especializados para averiguação. Esta é uma solução extremamente eficaz para proteger o seu imóvel. Veja mais detalhes em Monitoramento 24H.

Além do compartilhamento por tempo integral com a empresa de segurança, o usuário pode por meio de um aplicativo instalado em um celular, visualizar o status da central e receber notificações atualizadas sobre os eventos, ativar/desativar o alarme, e ter acesso a informações e status como por exemplo falta de rede elétrica, bateria baixa, ativação ou desativação por terceiros.  

Central de alarme não monitorada
Com uma central de alarme não monitorada, o proprietário é o único responsável pelo sistema. Em caso de sabotagem ou invasão, a central emite um alerta sonoro, porém o usuário se torna responsável em verificar o motivo do acionamento e tomar as devidas providências. Para quem não deseja contratar um serviço de monitoramento 24 h., onde existe um custo mensal, a central de alarme não-monitorada é uma opção. Nesse caso, se configura o equipamento de modo a enviar os sinais de disparo e alertas ao número de telefone pré-cadastrados.  

Sensores Infravermelho Ativos e Passivos e Sensores Magnéticos
Existem no mercado vários componentes de segurança que são primordiais na estruturação de um sistema eficaz e os sensores de alarme são um deles. Esses equipamentos são utilizados para a detecção de intrusão em ambientes externos ou internos, sendo fundamental a escolha do modelo adequado para o local a ser protegido.

Entenda a seguir como funcionam:

Sensores infravermelho ativo (IVA) – esses sensores trabalham em pares, onde o transmissor emite feixes de infravermelho – que é um tipo de luz invisível ao olho humano – para o receptor.

São amplamente utilizados para proteção de ambientes externos e abertos, pois quando alguém ou algo interrompe esse feixe na área protegida, o sensor detecta e emite um sinal de alarme, dessa forma sendo ideal para proteção de perímetros e instalado em conjunto com cercas elétricas aumenta ainda mais a segurança, formando assim uma barreira virtual.

Sensores infravermelho passivo (IVP) – esse tipo de sensor é indicado para ambientes internos, pois detecta qualquer variação de temperatura no local, sendo assim, ao identificar o calor emitido pela presença de uma pessoa, envia um sinal para a central de alarme. Dessa forma sua instalação não é indicada próximos a lareiras, aquecedores ou ar condicionado. Estes dispositivos possuem diversos ajustes de sensibilidade, como por exemplo a função Pet, que possibilita o ajuste para não identificar animais de pequeno porte até 30 kg, permitindo que o seu animal de estimação transite livremente no ambiente, sem que haja díspar do alarme.

• Sensores magnéticos (de abertura) –  Utilizados para informar aberturas  indevidas de portas e janelas, tem o objetivo de detectar possíveis invasões. Seu funcionamento se dá através de um contato magnético e um ímã, onde no afastamento do ímã o sensor é acionado, enviando um sinal para a central de alarme.

Esses dispositivos quando instalados em portas ou portões de garagem para detectar sua abertura e fechamento, são muito úteis no serviço de videomonitoramento para o controle de entradas e saídas assistidas remotamente.

Tanto os sensores infravermelhos passivo como os magnéticos encontram-se disponíveis nas versões com ou sem fio, e sua escolha se faz de acordo com cada necessidade.

Independentemente do tipo de sistema escolhido há uma questão importante a se considerar, a instalação de um sistema de alarme exige o  conhecimento técnico específico de um profissional, que irá considerar os elementos importantes de forma a obter o melhor resultado. A consequência da má instalação pode gerar uma frequência de disparos falsos, indesejados, ou ainda o comportamento imprevisível dos equipamentos, afetando com isso a segurança.

A Oberonn Engenharia desenvolve projetos personalizados de sistemas de segurança, apresentando as melhores soluções.

Veja também:

Solicite um orçamento!

Open chat